Blog

istockphoto-498611794-1024x1024

Como encontrar oportunidades de negócios no exterior?

  • 0 Comentários
“Para encontrar oportunidades de negócios no exterior, é importante um bom gerenciamento de informações e boas práticas com a aplicação de um método”

Por: Julio Foyaín

Hoje, o mundo econômico não tem fronteiras, em uma economia global e cada vez mais digital, a prática do comércio de nações atravessa fronteiras, a fim de aproveitar as oportunidades e benefícios do comércio internacional. Embora nem sempre seja equilibrado e justo, a verdade é que essa grande massa de inter-relações complexas é permanente, dia após dia, segundo a segundo. Seu máximo é a evolução, sua dinâmica constante é a mudança, refletida pelos indicadores econômicos das economias domésticas ou pelo efeito dos preços relativos no nível internacional, causados por múltiplos fatores que determina por seus agentes análise econômica e posterior tomada de decisão. Esses efeitos econômicos são evidenciados em ameaças que desejam ser combatidas ou em oportunidades que desejam ser exploradas pelas diferentes unidades econômicas no cenário internacional.

Bem, se qualquer setor da economia nacional for tomado e analisado no nível micro (unidade de negócios), avaliando um de seus fatores básicos de produção e em relação às unidades econômicas do mesmo setor ou complementares de outro país, você obviamente encontrará grandes contrastes. Essas condições de mercado, seja elas atuais ou em perspectiva, podem identificar tendências que, devidamente analisadas, permitem a proliferação de ideias de negócios latentes, muitas vezes intratáveis, devido à falta de uma visão geral e integrada da mercados diferentes.

Mas vamos responder à pergunta feita no título deste post, levando em consideração a dimensão das oportunidades de negócios no setor de comércio exterior (exportação / importação). Toda parte, especialmente, do que atualmente é chamado de vigilância estratégica (VE) ou inteligência competitiva (IC), que abrange quatro (4) áreas: vigilância tecnológica (TV), vigilância competitiva (VC), vigilância comercial (VCo) e monitoramento ambiental (VA), que é basicamente o gerenciamento de informações por meio de fontes secundárias (notícias, relatórios, estudos, ofertas, demandas e dados de um setor / mercado / produto em que nossa organização está localizada). A ideia é propor neste post um método de trabalho simples para gerenciamento de informações, a fim de valorizar oportunidades de negócios no comércio exterior, além de fornecer algumas ferramentas e recursos que nos apoiam na detecção de oportunidades de negócios no comércio exterior e que ele deve estar presente no caráter global da PME exportadora. Para esse assunto, vamos ver alguns detalhes das áreas de gerenciamento de informações:

Vigilância Tecnológica e Inteligência Competitiva (VTeIC):

Neste campo, quero destacar que é fundamental e mais do que aconselhável que a administração da empresa exportadora realize o gerenciamento de informações nessa área como parte essencial da inovação, que deve estar muito presente para aumentar a capacidade de adoção tecnológica, melhorar sua competitividade e, portanto, facilitar o processo de internacionalização. Para o gerenciamento de informações nessa área, existem propostas metodológicas, bem como recursos e ferramentas (alertas, mecanismos de pesquisa especializados, bancos de dados, mecanismos de meta-pesquisa, mercado, software e todos os recursos relacionados à análise aberta).

Vigilância comercial (VCo):

Nesse caso, a vigilância ou observação de informações comerciais é orientada para o gerenciamento de diversas informações de um mercado e seus dados estatísticos são registrados de maneira sistemática nas operações de comércio exterior e geralmente gerenciados por entidades governamentais ou outras, através de plataformas ou ferramentas especializadas neste setor e globalmente / região / país. Para citar apenas alguns, dentre os muitos, por exemplo: trademap (informações globais), ALADI (informações do contexto latino-americano: não apenas dados estatísticos), BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), informações qualitativas como ISI Emerging Markets (para mercados emergentes), euromonitor (pesquisa de mercado), Nielsen (pesquisa de mercado) ou mesmo alguns que organizam séries temporais e refletem tendências, como gapminder.

Vigilância Ambiental (VA):

Nesse caso, a vigilância se concentra mais nas informações do meio ambiente nos níveis micro, macro e global em que a organização opera (PESTEL: político, econômico, social, tecnológico, ecológico e jurídico) por meio de notícias, eventos, fóruns e todos os tipos de informações relacionadas. Aqui, as ferramentas e os recursos são muito diversos, como: mecanismos de pesquisa na web (Google, Yahoo, Bing, Ask, dogpile, entre outros), alertas do Google (vinculados a uma conta do Gmail), estudioso do Google, Google Trends ( um dos mais importantes) e até o mesmo RRSS (Redes Sociais: Linkedin, Twitter, Facebook, outros) em que você pode pesquisar por alguns critérios ou palavras-chave e até selecionar filtros.

Como podemos ver, o gerenciamento de informações pode ser orientado para as três áreas (integração do VTeIC) e para vários recursos e ferramentas que dão suporte à consulta de informações. Do meu ponto de vista, como (o método) para detectar oportunidades de negócios no exterior deve começar com o mercado, especificamente com o consumidor / usuário e terminar com ele, levando em consideração as tendências, em particular, apoiando o processo de Gerenciamento de informações com dados. Permito-me apresentar uma experiência que fizemos no ano passado através de um webinar para propor um método. Para o caso, não direcionando o processo para um produto específico:

- Oportunidades e tendências de produtos de consumo de massa originários da região da América Central para a Espanha.

identificar: produtos de consumo em massa. Mercado de origem: região da América Central. Mercado de destino: Espanha.

Você também pode estar interessado: Como fazer uma seleção bem sucedida de mercados?

Pesquisa: neste caso, fizemos duas partes, a primeira, levando em consideração o arquivo de país da Espanha e extraindo as informações mais pertinentes. O segundo é observar as tendências comerciais entre a região da América Central e a Espanha, usando a plataforma trademap, valorizando as informações consolidadas e, em seguida, especificamente, para cada um dos 6 países da região da América Central em relação à Espanha.

Analisar: em duas etapas, do ponto de vista da oferta (fornecedores) e na segunda, do ponto de vista da demanda (consumidores / usuários). Do ponto de vista da oferta, a análise foi interessante, pois os principais produtos exportados (por país e consolidados pela região para a Espanha) foram observados por capítulos, com seus respectivos gráficos em uma série histórica de apenas 3 anos (Idealmente, deve ser de pelo menos 5 anos). Os principais produtos exportados pela região para Espanha (com tendência de crescimento das exportações em todos os países, exceto apenas na Nicarágua) foram os relacionados ao Capítulo 3 (peixes, crustáceos), de longe os mais exportados. Segundo, os produtos do capítulo 8 (frutas e frutos comestíveis); em terceiro lugar, os produtos do capítulo 16 (preparados de carne); e em quarto lugar, os produtos do capítulo 15 (gorduras e óleos animais ou vegetais). Concluindo, as exportações da região da América Central para a Espanha se especializam em algumas commodities (alimentos frescos) e outros produtos do setor agroalimentar com pouco valor agregado.

Do ponto de vista da demanda (mercado de destino: Espanha), foram determinadas informações sobre: acordos de integração comercial, vantagens fiscais e áreas promovidas, zonas francas e armazéns, logística e conectividade (aeroportos e portos) e aspecto fiscal. Mas, para destacar, exija informações sobre a pirâmide demográfica, posicione o mapa das categorias por idade do consumidor (setor de alimentos e bebidas: relacionado aos capítulos expostos anteriormente mais exportados pela região), entre outras informações. Mas algo fundamental aqui são as informações relacionadas às tendências do mercado de consumo de alimentos e bebidas (residências) na Espanha, por exemplo:

- Aumento significativo em famílias menores.

- Redução do número de famílias com filhos e do tamanho médio da família.

- Redução de desperdício de alimentos.

- Maior consumo fora de casa (extra doméstico).

As tendências anteriores nos permitem considerar ideias sobre a adaptação de produtos (em seus formatos), com orientação ao canal HORECA ou ao canal varejista, ou ainda como especializar produtos (com formatos específicos) direcionados aos segmentos domésticos.

Da mesma forma, outro tipo de informação fundamental foi a consideração dos hábitos de consumo na Espanha, onde aqui foi possível ver, em uma primeira aproximação, oportunidades no mercado de produtos do capítulo de peixes e crustáceos, frutas e frutos comestíveis, produtos à base de preparados de carne e peixe, gorduras e óleos vegetais e animais, café, chá, mate, açúcar e confeitaria.

Especifique neste ponto, é altamente recomendável concluir e aprofundar a análise com estudos ad hoc de mercado (setor / mercado / produto) para obter informações mais específicas, mesmo levando em consideração outras tendências no setor de alimentos e bebidas (se nosso produto pertence a esse setor). Por exemplo, outra das nossas conclusões desse evento foi a necessidade de inovar e diferenciar produtos (com valor agregado, especialmente produtos saudáveis) de acordo com os hábitos e tendências do consumo espanhol / doméstico de produtos muito significativos em casa (comida fresca) e fora de casa (especialmente lanches).

Aliás, falando em inovação no setor de alimentos e bebidas, que tal essa iniciativa colaborativa na Espanha de "Ecotrophelia"?

Proposta do produto e seus testes no mercado alvo:

Finalmente, como o último passo de nossa proposta do método, obviamente deve ser a proposta de um produto viável ao mercado, alinhado aos requisitos do consumidor / usuário. Porém, nesse nível, é sempre aconselhável realizar seu teste no mercado correspondente para avaliar a resposta do mercado em relação a possíveis ajustes e outros. Obviamente, sabemos que no comércio exterior o produto deve sempre ser adaptado aos requisitos e regulamentos regulamentares (produtos do setor de alimentos e bebidas) para a entrada do produto nos mercados, mas diferenciar, o que, no caso de testes, é a validação do produto pelo usuário e consumidor, algo fundamental para a introdução e penetração no mercado.

Uma alternativa para iniciar o processo de teste de produtos é se registrar em plataformas digitais, como diretórios de fornecedores. Cadastre-se de forma totalmente gratuita e aumente sua visibilidade na região ibero-americana através de nosso “Diretório de oferta de exportação”.

“Um novo serviço da rede ACOEXT”

Diante do exposto, é necessário que a empresa que projeta sua internacionalização, com base na observação de oportunidades de negócios no exterior, direcione esforços (direta ou indiretamente) para integrar o talento humano com caráter multidisciplinar e multicultural, o que permite a avaliação e análise de informações (mercados de origem e destino) de maneira integrada e cooperada, seguindo um método que permitirá que você efetivamente atenda a essas condições de mercado para agir proativamente. Hoje, o uso dessas condições de mercado deve refletir-se nos esforços para criar unidades de negócios com caráter internacional, mas esses esforços não devem ser valorizados apenas de dentro de certas fronteiras; pelo contrário, deve ser integrado, multicultural e globalizado, pois, dessa forma, seu resultado será certamente mais eficaz.

Deixe-nos seus critérios para enriquecer e socializar este post.

Voltar

Comentários 0

Assine a nossa newsletter

Se você quiser manter o dia com nossos produtos e notícias. Introduza a sua página de e-mail e receba o boletim informativo.

ACOEXT © 2020. Todos os direitos reservados Aviso Legal | Política De Cookies |